BLOG

  • Portal da Prevenção

10 Dicas: Doenças Cardíacas Congênitas

Cardiopatia Congênita é qualquer anormalidade na estrutura ou função do coração que surge nas primeiras 8 semanas de gestação quando se forma o coração do bebê.


No Brasil, a incidência de cardiopatia na gravidez é de até 4,2% e sua incidência tem sido estimada em 6 a 12 por 1.000 nascidos vivos.


Em bebês os sintomas podem ser notados durante as mamadas, quando há o cansaço excessivo e transpiração, o mesmo pode acontecer durante o sono. Dificuldade no ganho de peso, irritação frequente e ainda cianose, que é caracterizada pela ponta dos dedos e/ ou lábios arroxeados.


Em crianças maiores o cansaço pode ser notado durante as atividades físicas ou até mesmo na dificuldade de acompanhar o ritmo de outras crianças, crescimento e ganho de peso de forma inadequada, infecções pulmonares repetidas, taquicardia ou ainda lábios roxos e pelo pálida quando brinca muito. Pode haver ainda episódios de desmaios precedido de tontura, visão turva, dores no peito e mal-estar.


A realização da ultrassonografia no primeiro trimestre de gestação e a maior utilização da ecocardiografia fetal nos últimos anos que, tem contribuído com diagnóstico precoce intraútero de cardiopatias congênitas, com consequente melhor evolução perinatal delas.


A cardiopatia congênita pode ser controlada e até curada, sobretudo quando identificado e tratado precocemente. Abaixo listamos algumas medidas preventivas para evitar a doença:


  1. Prevenção e controle de infecções durante a gestação: mães que já possuem doenças cardíacas é recomendado a tomar vacina contra rubéola, hepatite B e influenza durante a gestação.

  2. Durante a gestação controle as doenças crônicas, como diabetes;

  3. Escolha uma alimentação saudável: a alimentação durante a gestação influencia muito na formação da criança antes e após o parto. Grávidas acima do peso, que desenvolvem diabetes e hipertensão, passam para os filhos as informações das duas doenças e eles podem, futuramente, desenvolver problemas relacionados ao excesso de peso das mães. Escolha alimentos ricos em proteínas, vitaminas, cálcio, ferro, zinco, selênio e ômega 3. A placenta funciona como uma esponja, ela filtra o que a mãe come e manda para o embrião através do cordão umbilical.

  4. Realize um pré-natal, com estrita observância das indicações e contraindicações relativas à gestação;

  5. Não fume durante a gestação;

  6. Não ingerir bebidas alcoólicas durante a gravidez;

  7. Evite o estresse: estresse promove a liberação de hormônios que influenciam nos índices de colesterol, pressão arterial e glicose no sangue, podendo agravar problemas cardíacos. Portanto, busque por atividades que ajudam a diminuir os níveis de estresse, como a meditação e a prática de exercícios físicos.

  8. Faça exames preventivos durante e depois da gestação;

  9. Pratique uma atividade física leve como hidroginástica;

  10. Cuide da saúde bucal: Para evitar infecções no coração das crianças com cardiopatias, os cuidados com os dentes são de suma importância, pois a cavidade bucal é rica em bactérias que podem circular na corrente sanguínea e localizar nos defeitos do coração causando infecções graves, chamadas Endocardite. As crianças devem ser levadas regularmente ao dentista a cada 6 meses.

Referências bibliográficas:

http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2016/03_DIRETRIZ_DE_ARRITMIAS_CARDIACAS_EM_CRIANCAS.pdf

http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2009/diretriz_card_grav_9306supl1.pdf

23 visualizações